sábado, 16 de dezembro de 2017

O som dos anos 90: BRock - Fase 2

Você sabe o que é o termo BRock? É o termo que usamos para definir um rock feito no Brasil não importa seu estilo (do tradicional ou metal) e não importa a língua e o termo foi criado pelo jornalista Arthur Dapieve primeiramente para definir o Rock Brasileiro dos anos 80, depois foi adotado para se referir aos estilo.
Por que uso o termo BRock - Fase 2? Simplesmente porque a Fase 1 se deu nos anos 80 mas o estilo estava em alta por aqui desde os anos 60 e devo confessar que talvez eu seja o único que fale assim nesses termos, mas como estamos na internet talvez alguém também se refira a essa fase também assim. Nessa postagem irei te passar como eu via e meus amigos essa "morte e ressuscitação" do rock brazuca que aconteceu nos anos 90! Boa Leitura!

Nenhuma moda dura para sempre
Em 1993 fazia 13 anos que o rock (seja brasileiro ou estrangeiro)  dominava o cenário musical. Contudo estava ficando tudo muito repetitivo e em outros lugares surgiam outros estilos musicais (novos ou repaginados) que ganhavam mais destaque nas rádios AM que era justamente a que o pessoal da classe trabalhadora mais simples ouvia. A ditadura tinha acabado há 8 anos (1985) e já não havia tanto interesse em músicas rebeldes e sim mais interesse em músicas que falassem de amor, dor, baladas e diversão e foi nessa brecha que três estilos começaram a dominar esse novo mercado musical que surgia que eram o pagode, axé e sertanejo.
Um dos principais fatores que contribuíram foi que o rock se tornou um mercado fechado para as novas bandas que surgiam e assim grandes músicos desse estilo migraram ou pro sertanejo ou para o axé fazendo músicas para esses artistas que se tornariam memoráveis e assim você somando todos os fatores que estavam ocorrendo, num belo dia lá em 1993 você ligava a tv num programa de Domingo e ao invés de ver as bandas e cantores de "pop rock" de sempre, via dois caras cantando e duas garotas rebolando ou um grupo formado por oito pessoas todas tocando instrumentos acústicos como cavaco e violão e até aqui ainda não tinha entrado o jabá na jogada (vamos dizer que ainda estava bem de leve) e aquilo realmente era coisa diferente para o povo ouvir. Foi nesse ano que foi marcada o fim da fase 1 do rock brasileiro e enquanto ele não voltava novas bandas finalmente estavam surgindo no underground.


Jabá
Para quem não trabalha com música como sempre digo o jabá é uma coisa que até um tempo atrás  era mais difícil de acreditar. Para um fã saber que seu cantor ou banda favorito só faz sucesso porque há um produtor, uma gravadora e  um empresário pagando por ele é um legítimo "chute no saco"! Não vou detalhar como funciona isso pois há muitos sites que abordam o tema, mas o que tenho que comentar é que para aquele "roqueiro revoltado" que acha que o sertanejo, axé ou funk é o culpado pela existência do jabá na música brasileira, saiba que foram os empresários de bandas de rock nos anos 80 que fizeram isso se aprofundar mais e que muito deles "migraram" também fizeram isso com os grupos de pagode, duplas sertanejas e bandas de axé nos anos 90.
Afinal todos trabalham para ganhar dinheiro e se um músico ou produtor ficar vivendo só de arte, além perecer na pobreza não irá conseguir sustentar sua família!

O período de dormência de 1994 a 1998
Se rock estava em baixa o que aconteceu nesse período? Pra começar ele não estava "tão em baixa" pois ao contrário de hoje em dia, grande parte boates e danceterias não tocavam a moda do APS (a carreira encerrada cedo demais.
sigla para Axé, Pagode e Sertanejo) ou seja quando contratavam uma banda geralmente era de "pop rock" e quando tinha banda era um DJ que tocava só música eletrônica só que somente em 1995 surgiu uma banda de rock que ainda "salvou o mercado" por um breve período que foi o Mamonas Assassinas infelizmente com a
Mas nesse tempo havia a MTV que ainda centrava seu público alvo mais nos estilos pop, rock, hip hop e música eletrônica e assim muitas bandas e cantores devem suas carreiras a ela pois a primeira vez que vi e ouvi muito deles e sem contar que boa parte do mercado em 1994-1996  também estava dominado pelo reggae, liderados pelo Skank e o Cidade Negra.  Fora isso na tv aberta os programas de auditório foram dominados   pelo Axé e o Pagode, as trilhas das novelas pelo Sertanejo (embora muito havia de Pop Rock também) e claro as rádios FM populares não paravam de tocar tudo que era lançamento da "turma" do APS. E também havia os artistas de "só sucesso" tanto no pop quanto no rock como Vanessa Rangel (Palpite) e Os Virgulóides (Bagulho no Bumba).
As as bandas nacionais sobreviventes dos anos 80 continuaram a gravar álbuns e a fazer show mas com cada vez menos tiragem e cada vez com menor público embora aqui mostrasse o amadurecimento das mesmas com músicas que até hoje são cantadas.

A segunda fase do BRock
Pra mim o grande responsável a fase 2 foi a MTV. Porque as bandas novas de rock que surgiram Brasil era uma coisa tão rara que você só conseguia ver um nos programas Fantástico ou Vídeo Show da Rede Globo.
aproveitaram muito o recurso do videoclipe e isso nos anos 80 no
Como essas novas bandas eram formadas por jovens com seus "vinte e pouco anos" e pela primeira vez eles podiam copiar o "padrão americano" eles aproveitaram o máximo o recurso e até hoje muito clipes do Charlie Brown Jr, Raimundos, Skank, Jquest e Pato fu são memoráveis.
Essa fase começou a se formar em 1998, novamente pela mesma coisa que tirou o "rock" da moda pois o povo começou a encher o saco da moda APS e principalmente aos famosos Acústicos MTV onde bandas dos anos 80 foram colocadas de novo nas paradas e nas graças do público somente regravando seus antigos "hits" num modo menos agressivo.
Nessa época eu tinha uma banda de rock e assim como muitas nós tocávamos axé e reggae (que particularmente eu gostava) para conseguir fechar contratos mas logo depois dos lançamentos dos álbuns De volta ao Planeta do Macacos (Jquest) e Só no forevis (Raimundos) vimos que finalmente podíamos tocar somente rock e pop pois a moda APS estava em fase terminal e já a partir de 2000 essa fase foi definitivamente consagrada e novamente nós víamos na tv aberta bandas e cantores de BRock e cada vez menos grupos, bandas e cantores APS, mas claro que assim como o rock eles não sumiram completamente do mercado, estavam apenas com "menos atividade" pois já em 2005 novamente a moda iria mudar.


Indo para o Limbo
Os primeiros sinais que o BRock estava se desgastando começaram em 2004 quando as novas duplas sertanejas pararam com o Sertanejo Tradiconal e o Popnejo  para dar lugar a um quer era mais calçado no Country Rock e Folk e por influência de algo que era popular entre 2001-2004 chamado "Forro Universitário"  em 2005 surgia o "Sertanejo Universitário" (S.U) se a MTV foi responsável You Tube.
por "alavancar" o BRock o responsável por "alavancar" o S.U e o Funk Carioca foi a internet, que começou a se tornar mais popular entre o povo a partir de 2005  e ao invés de um artista gastar "horrores" num vídeoclipe, podia fazer um mais simples com "uma camera digital" e postar por conta própria na internet e isso se tornou mais fácil depois do surgimento do
A partir de 2007 o BRock perdeu espaço nas rádios, na tv aberta e até nos lugares que dominava como as "boate e danceterias" e até na própria MTV e até 2010 nenhuma música mais do estilo estava entre as 30 mais tocadas na rádios.
Quem gostava do estilo ficou atordoado e embora pra mim o estilo foi "vítima" não só do jabá e da mudança de moda, mas muita coisa também graças aos fãs de rock que não aceitam a realidade que a sua banda "contra o sistema" famosa também usa jabá para se manter no topo e ao invés de começar a ouvir mais bandas novas independentes é que hoje o rock se encontra onde está.
Acontece que as bandas mais antigas não possuem mais aquele atitude de querer fazer a diferença e você não pode culpar eles pois o tempo é implacável para todos e só ver quantos "roqueiros famosos" morreram esse ano não mais por "abuso de álcool e drogas" e sim porque simplesmente estavam com uma idade avançada e tendo as doenças normais que todos nós teremos quando formo mais idosos. O rock está na UTI e respirando por aparelhos  e enquanto os fãs do estilo ignorarem o que anda surgindo de novo e ficarem "endeusando" o passado, infelizmente ele entrará para os livros de história e no futuro a única forma de ouvi-lo será como escutamos a música "sacra e clássica" hoje em dia e pode ter certeza que a juventude lá de 2070 achará isso um saco.


Postado por:
Rafael "O KH" Dantas
Autor do blog de gravação musical Palco KH, do blog de "histórias" Adult Stories e Jovem & Adolescente nos anos 90!
Músico e Técnico em T.I
OMB:13850
Contato:
rafael.kh@gmail.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: faça comentários relacionados a postagem!
Tudo que for de origem ideológica, conteúdo ofensivo ou político será automaticamente apagado! Há vários blogs pra você fazer isso, aqui não é um deles.