terça-feira, 29 de agosto de 2017

Poema: A primeira eleição que vi!

Eu tinha 12 anos e uma não sabia que a coisa
Seria séria assim!
As pessoas discutindo seus gostos e preferências
Nas padarias, restaurantes, bares e butequins
Na escola geralmente os filhos defendiam que o pai escolhia!

Mesmo não entendendo de nada, daquele momento queriam participar
Todo mundo eufórico depois de tanto lutar
Pela primeira eleição civil para presidente
Depois da ditadura militar.

Na tv antes da novela, depois do jornal, algo apareceu no ar
Um nome muito esquisito e complicado de falar
o nome era Propaganda Eleitoral Obrigatória, dizia a voz sinistra
Que junto a frase eu prestava atenção a escutar!


E os candidatos? Quantos presidentes! Em quem votar?
Eram tantos partidos, nomes e apelidos que a sério
Quase não dava pra levar!
Eram 22 nomes e todos não vou me recordar, então como era um adolescente
Só de alguns e dos finais eu vou me lembrar

Tinha o médico brilhante, que muitos falavam que eram louco
Mas ainda 360 mil votos falando em apenas quinze segundos
A surpresa que muitos candidatos com muito mais minutos
Perderam feio para esse barbudo!
Havia o que não falava nada, somente anunciado pelo apelido
Marrom era o verdadeiro represante dos pobres
Só como sempre no Brasil somente segundos para falar
Ganha que defende alguma causa nobre
Tinha "o pai da constituição" que hoje ninguém lembra da sua participação
E faltaria ainda três anos para sua desaparição.

O "Homem do baú" entrou de última hora, no último minuto, perto do último segundo
E meus amigos diziam que estava o "Presidente do Brasil" por causa do seu carisma, da sua risada
Mas votar em outro nome não dava e assim o TSE acabou com a farra
Tinha o ecologista que meus amigos na sala ficavam seu lema a cantar
Pareciam que tinham fumado um baseado ou um "cachimbo da paz"
Mas no final eu escolhi como candidato, um da minha terra, do meu lar
E assim "lá...lá...lá" ficava pelos corredores a cantarolar!

No fim restou apenas dois para que os adultos pudessem eleger
Um parecia simples, o outro um tipo lorde inglês
Na mão deles o destino da nação, no outro ano iria perecer
Se hoje temos "fake wars" para ganhar o segundo turno tudo valia
Dizer que um bateu na mulher e que o outro abandonou a filha
Ficava divertido assistir a luta entre o "caçador de marajá" e o "sindicalista"
Criavam canções, violavam autorias, e as cidades cheia de santinhos
Já não aguentavam aquela rotina, a briga de cordial agora tinha virado
uma espécie de "rinha", tudo valia no "ring" da política!

Por fim o "caçador pereceu" e o "sincalista caía"
E a esperança foi tomada por uma dúvida sofrida?
Será que foi uma boa escolha? Ou se levaram pela mídia?
Trê anos depois a história hoje, isso responderia.
E qual diferença de uma eleição de hoje com aquela que falei antes?
A única diferença é que a de 1989, foi a mais emocionante!

Quer conhecer quem eram os candidatos?
Acesse Abaixo!
http://marmota.org/blog/os-22-candidatos-a-presidente-em-1989/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: faça comentários relacionados a postagem!
Tudo que for de origem ideológica, conteúdo ofensivo ou político será automaticamente apagado! Há vários blogs pra você fazer isso, aqui não é um deles.